quinta-feira, 21 de julho de 2005

Depois de Amanhã é 23

"Há vinte anos você nasceu, ainda guardo um retrato antigo, mas agora que você cresceu, não se parece nada comigo. Esse seu ar de tristeza, alimenta a minha dor, tua pose de princesa de onde você tirou?"Amanhã é 23 - Kid Abelha


É isso aí, pessoal... sou a mais nova velha do pedaço. E entro agora na casa dos 20. Não sei se isso é bom ou ruim. Esperemos os próximos 10 anos... para a próxima casa. O horóscopo diz que coisas boas estão por vir... e o que seriam coisas boas? O que seria bom para uma leonina faminta e sedenta? O que seria bom pra mim? Na verdade, venho me perguntando isso há 20 anos... E concluí que as respostas vêm conforme o caminho. É aquilo: "O caminho não existe. Ele é feito ao andar." De fato. Faço idéia do que vem pela frente, mas ultimamente ando numa fase de tentar prever apenas os próximos 6 meses [mesmo isso sendo impossível] e não mais os próximos 10, 15 anos, como tinha mania de fazer. E acho até que não prever as coisas é melhor ainda. Falo do que [acho que] sei. Da faculdade... Dos novos amigos. Dos velhos. Da minha casa. Das minhas poesias. Do Neruda, mestre e amor da minha vida. Do meu novo celular. Do meu 1º All Star. Do livro de anatomia que terei que deglutir e transformar em ATP. Das músicas sagradas de todos os dias. Das fotos que estão na porta do meu armário. Dos meus 2 relógios de estimação. Da Rute, minha solitária querida. Dos meus medos. E das minhas doenças-do-inferno-astral. Dos homens lindos que continuam lindos. Das minhas interpretações. Do quanto eu quero esquecer e se volto a ver, sinto tudo de novo. Da minha agenda, meu exercício diário de raciocínio. E do quanto eu quero saber de tudo. Estudar tudo, chegar o mais longe possível. Como dizia meu amado Sinatra, Fly Me To The Moon. E é isso mesmo!! Ai, 20 anos e todas as coisas velhas são renovadas a cada momento. 20 anos e tudo é sempre familiar... apesar de tantas coisas familiares eu já ter perdido [sendo essa uma das piores sensações, na minha opinião: a ausência de coisas familiares] mas que me fizeram crescer tanto. Não na minha altura, que infelizmente não vai passar do que já é, mas da minha alma, que cresce toda vez que os ponteiros dos segundos dos meus relógios [um marrom e outro rosa] andam. Já dizia Walt Whitman: "A minha alma crescerá sempre, mas mesmo assim, n unca chegará até um lugar onde não poderi seguí-la. Quando acordo de noite e caminho pela praia, quando olho para cima e contemplo a infinidade de estrelas, pergunto à minha alma: 'Quando eu morrer e você estiver lá em cima, e puder estar presente em todo esse universo, estará satisfeita?' E minha alma responde: 'Quando eu chegar lá, saberei que posso crescer ainda mais.' Então, sempre ao meu crescimento... sempre ao teu crescimento, pequenino leitor, tã pequenino quanto eu [apesar do leonino pensar que é muito], que anseio sempre por algo que ainda não sei o que é... aos meus 20, aos seus 20, 40, 60 anos... Pra sempre.


Depois de amanhã é 23, faltam 8 dias pro final do mês, faz tanto tempo que não te vejo. Mas sem beijos dessa vez. [Eu e Kid Abelha]

2 comentários:

Giovani disse...

Parabéns mais uma vez menina, porque você merece. Não é tão sinistra quanto eu mas chega bem perto, viu?!?! IUHAUIEHAIUE! brincadeira, juro pra você. Fica bem, te adoro e aproveite seus 20 anos da melhor forma possível pois os anos vão passando e quando você dá conta, já está com 23, 33, 43... Bjks.

Gislaine disse...

Ai Carol...

Fico tão feliz por ver meninas de 20 anos como vc!
Mostra que o mundo não está de todo perdido... tudo que vc escreve é tão consistente e cheio de significado!

Acho que nem te dei parabéns, né... estava viajando, sem muito acesso a internet, mas saiba que meu carinho por vc só aumenta, cada vez que entro aqui e te descubro mais um pouquinho, cada vez vc se torna mais especial e querida!!!

Que cada segundo seja relamente reconhecido por vc como fundamental e que vc consiga aproveitar ao máximo o aprendizado que cada um deles contém em si!!!

Deus ilumine muito e sempre sua vida!!!
Beijos e mais beijos, lindona!