sexta-feira, 6 de janeiro de 2006

When you're too in love to let it go... if you'll never try, you'll never know...





Primeiro post de 2006... E ele vem trazendo meu mais novo poema. E que seja esse o caminho para esse ano: repleto de poesia.



Janelas - Ana Carolina Biavati


Eu vejo minha vida correndo esta manhã.
Entre essa tão cruel indiferença.
Mas, mesmo assim, ela brilha.
A vejo tremular entre os dias.
Sempre tão indecisa, tão libriana...
Às vezes gostaria que ela fosse mais leonina.
Mas não existe medo ou covardia.
Algumas mentiras de vez em quando...
Pra não perder o hábito.
Muitas cores... todas as cores.
E talvez algo novo: a saudade.
Essa é a tua marca nela.
Muitas portas... Estou em todas.
Alguns muros.
Ao menos o céu não os têm.
Ergo-me ao sol...
Uma janela. E é só aí que te vejo.
Vem comigo.
Vem comigo transformar janelas em dias.
Vem comigo ver os deuses nos visitando.
Vem comigo fazer poesias.
Vem comigo pr'eu ver que não estou sonhando.
Vem comigo.



E então, começando o ano com a mesma situação que terminou em 2005, deixo essa música. Depois dela, não preciso dizer mais nada. Mais uma vez. Aos meus amigos, sei que ela também irá servir. Minha primeira dedicatória desse ano. Até, amável leitor. E antes que eu me esqueça, obrigada por fazer minhas palavras existirem.



Mãos Atadas - Zélia Duncan e Roberto Frejat


Tenho as mãos atadas ao redor do meu pescoço
Eu queria mesmo era tocar seu corpo
Reprimo meus momentos
Jogo fora os sentimentos, e depois?
Depois toco meu corpo, eu tenho frio
Sou um louco amargurado e até vazio
E me chamam atenção
Mas eu sou louco é de paixão, e você?
Você que me retire desse poço
Eu sei ainda sou moço pra viver
E te ver assim tão crua
A verdade é toda nua
E ninguém vê
Eu tenho as mãos atadas sem ação

E um coração maior que eu para doar
Reprimo meus momentos

Jogo fora os sentimentos sem querer.
Eu quero é me livrar
Voar
Sumir
Perder, não sei, não sei querer mais
A qualquer hora é sempre agora, chora
Quero cantar você
Vou fazer uma canção, liberte o meu pensar

Aperte os cintos pra pousar
Agora é hora de dizer
muito prazer, sorte ou azar e amar
Simplesmente amar você.

6 comentários:

Jullyana disse...

Ai ai ai Biavati!!!Amei!A poesia, o comentário(ahahah) e essa "tal " de "mãos atadas", acho essa música tãoooooo forte!!!!!!lindo!Tb começo 2006 como terminei 2005!!!Mas to bem tb!!!!!!beijos!!!!!!!Vc que é sensacional!

Bia disse...

Queria ver uma janela aberta na foto, loguinho! Tomara que quando ela se abrir tenha um caminho liiiindo adiante, viu? Bjão para vc!! Ah! Liga pra indecisão libriana não, podia ser pior. Vc podia ser um ser de touro, ascendente em peixes e lua em gêmeos que nem eu! rsss Ô dureza!

Sabrina Lima disse...

simplesmente demais o seu blog!!! O seu sim merece comentário!!! O meu anda meio caído... mas vou reerguê-lo!!! Obrigada pela visita!!! Volte sempre!!!

Duarte Temtem disse...

Cara Carol (sabias que tenho uma Ana Carolina muito especial na minha vida?) :)

Agradeço a tua visita e acima de tudo as palavras que me deixaste.

Vim ler-te e confesso que adorei este teu "Janelas". Um repensar da vida, bem apropriado ao começo dum novo ano!

E parabéns pela apresentação visual do blog, está fantástica!!

PS - dentro de dias vou (finalmente) visitar o teu país

Bjs

Giovani disse...

Poxa, essa música é excelente mas agora...libriano é indeciso!? Sabia disso não. Minha mãe contraria tudo isso então...hUAHEAHUEA! Beijos!

Rafael disse...

librianos! eu q o diga! HAuHUHaUhuHuahuAH!!!!

to com saudades! queria poder curtir o show do rolling stones com vcs...

beijoes!!!