quinta-feira, 2 de fevereiro de 2006

Andar com fé eu vou, que a fé não custuma faiá...




Passado o tempo de culpa pelo passado, agora que meu coração encontra-se calmo novamente, decidi falar hoje das coisas em que sempre acreditei mas que se perderam no tempo. Decidi falar hoje sobre meu aprendizado religioso, minha fé e o quanto ela é importante pra mim.

Desde pequena, cresci nos ensinamentos da Igreja Católica. Fui batizada, fiz comunhão, perseverança e crisma. Tudo que tem direito. Ia à missa e sempre rezava a Deus, à Nossa Senhora e ao meu anjo da guarda. Sempre. Mas por algum motivo, que não sei dizer, essas coisas foram perdendo a graça pra mim, ou melhor, perdendo o sentido. Aos poucos, fui abandonando os entendimentos até o dia em que decidi mudar de religião.

Passei a frequentar um centro espírita perto da minha casa, um tempo depois de ter começado a ler os livros pertinentes a isso. Aprendi um pouco da doutrina, incorporei conhecimentos à minha vida e os apliquei. Mas confesso também não sentir tanta atração a ponto de seguir isso e fazer com que a minha vida seja repleta disso. Assumo que por muita preguiça. Infelizmente. Mas também por não concordar com todas as coisas que me foram mostradas... ou melhor, concordar não: entender, imaginar.

Eu tenho um lado muito questionador nesse sentido. Pra mim, as coisas precisam de um pouco de lógica, de sentido. Certamente que a doutrina espírita não os possui sempre, mas minha intenção aqui e agora não é questionar o que cada religião tem de certo ou errado, na minha opinião. Minha intenção é questionar a mim mesma, ao que acredito agora, ao que meus 20 anos me proporcionam pensar.

Esse último semestre provocou essa reação em mim. O contato com pessoas espiritualizadas me mostrou o quão importante é a fé de uma pessoa. Não importa no que ela acredite. Se em Deus, se em Buda ou Ganesha, se até mesmo em sua própria consciência [como já convivi com pessoas assim.]. O que importa mesmo, na minha opinião é a importância que devemos dar à fé que possuímos.

Eu acredito em Deus. Em Jesus. Em Nossa Senhora Aparecida. Acredito no meu anjo da guarda, em espíritos de muita luz. E nos de pouca também [acredite, eles existem]. Acredito em "Namastê" e em "Om Mani Padme Hung". Acredito em mim e nas coisas que penso [sem nenhuma pretensão]. Acredito em anjos... Acredito em amigos, em família e em pessoas. Acredito que tudo é possível. Mas, mais ainda, acredito que a fé é tudo que nos move aos objetivos, é tudo que nos mantém em pé e a diante quando nos falta visão, horizonte ou entendimento.

Hoje eu voltei a rezar. Não frequento nenhum tipo de culto ou religião, pois às vezes julgo ainda não ter achado algo que me mantenha entretida. Quem sabe algum dia. Certamente não me privo de aprender... E ainda tenho muito tempo pra decidir sobre isso [pelo menos eu acho.] Mas agradeço às boas almas que Deus colocou no meu caminho o fato de ainda acreditar que uma oração faça efeito. Aprendi a não pedir. Mas a agradecer.

E um dos meus desejos de ano novo foi que eu trabalhe minha fé, que ela aumente... e jamais se perca. Hoje tenho plena consciência de que estou em paz comigo. E é isso que me importa.

Desejo que sua fé te sustente, sempre. Namastê, querido amigo. =)
"Sereno é quem tem a paz de estar em par com Deus... "
Morena - Los Hermanos [tão amados]

4 comentários:

Mariana disse...

Oi carol, Muito obrigada pela visita. Já estou melhor! É essa TPM chata! Vou pro Rio amanha cedo. Você mora aí, né? Adorei teu blogue. Lindo mesmo. beijo,

Juliana disse...

Pequena, lembra o q nós conversamos uma vez (voltando do center.. rsrsrs) sobre isso? Então... Deus está dentro de nós, está nas nossas ações, nos nossos sentimentos, na nossa família, no raiar de um novo dia! O mais importante é ter religiosidade e depois vem uma religião. Nunca deixe a sua fé se perder, a fé em Deus, em vc msm. As vezes a gente precisa de um tempo pra refletir sobre as coisas, parar e resgatar o que se perdeu. Esse também é um propósito meu e nos ajudaremos nisso... rs, como sempre.
Amo você, bjos (Jude)

Bia disse...

Oi Lindinha! Lindo, sincero, emocionante seu post. E com certeza, acredito que a verdadeira essencia da espiritualidade seja exatamente essa: questionar sempre e manter a fé na dúvida. Uma bela semana pra vc, bjão!

Anônimo disse...

E tantas luas se passaram...
Lembrei muito de vc esses dias...Por que só se fala em U2...e eu vim aqui pra ver os seus comentarios sobre Bono Vox...
Encontrei Fé...e descobri que era disso que eu precisava...
Bacana Carol,
pra vc eu desejo Fé...

La Belle du Jour